sábado, 2 de outubro de 2010

Texto contra o aborto. (Sem usar a Bíblia)

É claro que podemos usar a Bíblia pra condenar o aborto. Mas eu preferi não usar por um simples motivo:Não se pode usar a bíblia pra condenar o aborto, se as pessoas que defendem o aborto não acreditam na Bíblia.
As mulheres que defendem o aborto falam que a mulher deve ter direito de escolha. Mas é claro que elas tem escolha. Elas podem escolher usarem métodos anticoncepcionais.Se elas não podem escolher, então é porque elas estão sendo forçada a fazer sexo de maneira que elas não querem, e isso se chama ESTUPRO. E no caso de estupro, a lei Brasileira dá o direito à mulher de fazer aborto.Ou seja, elas ja tem direitos preservados.
Existem aqueles que são favoráveis ao aborto, mas falam que são contra, porém dizem que o aborto é questão de saúde pública, que muitas mulheres morrem fazendo abortos clandestinos. Ao invés de incentivarem o sexo seguro,orientarem a relação sexual segura, preferem legalizar o aborto.
Imaginem o quanto as clinicas particulares lucrarão com os abortos.Imaginem o lucro dessa gente.
Sabemos que a questão do aborto não tem nada a ver com "direito das mulheres". A questão é que as pessoas que financiam essas campanhas de abortos, muitas organizações mundiais , decidiram que existem pessoas demais no mundo. Eles querem diminuir a população mundial.Pois falam que se continuar assim, não teremos comida, água pra todo mundo.Por isso uma das maneiras de diminuir a população é incentivar o aborto.

Se o Aborto for legalizado, teremos vários problemas:

1-Mulheres passando na frente de quem realmente precisa de médicos: Uma mulher, se está em perfeita condições de levar a gravidez adiante mas quer fazer o aborto, devera fazer o mais rápido possível.Antes que a gravidez avance e não se permita mais o aborto,.Então deverá passar na frente de pessoas que esperam semanas, ou meses por uma operação. E pessoas que realmente não tem escolhas.Pois se não forem operadas morrerão.Mas a mulher NÃO PRECISA fazer o aborto, pois está em perfeitas condições de saúde.

2-E se nenhum médico quiser fazer a operação? Os médicos podem alegar motivo de consciência para não realizarem o aborto. Se a mulher está em perfeitas condições de saúde, se não foi estuprada, então porque o médico vai querer fazer uma operação desnecessária?

3-Segundo algumas pesquisas, são feitos mais de um milhão de abortos no Brasil por ano. Se legalizar,  os números poderão aumentar. Se o sistema de saúde não consegue atender as pessoas que realmente precisam de assistência, se pessoas morrem na fila dos hospitais, vamos gastar dinheiro com abortos? Sendo desnecessários? O SUS vai conseguir atender todas as mulheres?

4-Bêbes deficientes abortados. Cada dia que passa, a medicina fica cada vez mais avançada.Vamos imaginar que ja nos primeiros dias de gestação, seja possível identificar que o bebê seja portador da síndrome de Down.Os país vão poder abortar o feto? Não será possível proibir a mulher de fazer esse aborto,pois teremos que respeitar a escolha da mãe.Se os pais descobrirem que o bebê não vai nascer do jeito que eles querem, eles poderão fazer o aborto.

Os defensores do aborto falam que a mulher tem o direito de decidir sobre o próprio corpo.Mas vamos pensar um pouco, se uma mulher chega e pede pra um médico cortar, amputar o braço dela,mas o médico analisa e percebe que o braço dela não precisa ser amputado, pois está sadio, ele não vai cortar.Sabe o que a mulher vai falar pra ele? "Doutor, o braço é meu, eu tenho direito sobre o meu próprio corpo,por isso eu exijo que o senhor corte o meu braço".É claro que o médico não vai amputar o braço dela. Mas os defensores do aborto falam que a mulher tem o direto sobre o próprio corpo.Entenderam?Se for assim ela pode decidir cortar o próprio braço e ninguém pode fazer nada pra impedir.

Se você concorda comigo, e quer falar contra o aborto,mas não quer usar a bíblia, divulgue esse texto para seus amigos, no Twitter, Orkut, Facebook.


Fabiano Caldas.
Twitter: http://twitter.com/fabianocaldas

.
(As vezes o Facebook pede pra confirmar depois de você "Curtir". Basta clicar em "confirmar" e pronto :-)

---------------------------------------------------------------------------------------------

23 comentários:

  1. Taí, Fabiano Caldas, gostei muito do seu texto! Sou um cara católico que se considera conservador e "reacionário". Por isso que surpresa encontrar o seu texto logo no blog petralha-progressista do Azenha. Já tive essa discussão sobre o aborto inúmeras vezes e sempre argumentei que não se trata de um "problema de religião", mas de moralidade simplesmente. A religião também condena a tortura, mas nós não somos a favor da tortura só porque o Estado é laico. A grande verdade é que as pessoas estão hipnotizadas pela idéia de destruir uma vida em formação, esquecendo-se de que, se seus pais não fossem velhos reacionários, elas poderiam ter sido arrancadas dos úteros de suas mães e não estariam vivas para defender essa prática tão abominável sob qualquer aspecto.
    Uma amiga atéia vive dizendo que eu não posso me meter na questão porque eu sou homem. Eu respondi que não sabia que as mulheres estavam engravidndo sozinhas agora he-he...
    Enfim, parabéns pelo seu texto, independentemente de nossas prováveis diferenças ideológicas.
    Fernando José - SP

    ResponderExcluir
  2. Cara, vamos lá:

    1) Mulheres passando na frente de quem realmente precisa de médicos: há médicos especialistas para fazer o aborto. A mulher não vai passar na frente de quem tem, sei lá, câncer de prostata. Mas, olha, minha bronca nem é essa. Estamos falando de uma mulher que NÃO QUER ter um filho. Sei lá porquê. Não importa. O marido largou, o pai da criança fugiu, ela NÃO TEM VONTADE de ser mãe. Por que a vida dessa mulher - e o problema que esse filho vai trazer - é menos importante que um cara que está fisicamente doente?

    2-E se nenhum médico quiser fazer a operação - Em primeiro lugar, não é uma operação. Estamos falando de aborto, não cesariana. Há milhares de médicos do Brasil. Acho meio inconsistente dizer que nenhum vai querer, certo? E, hoje, uma em cada 5 mulheres brasileiras já abortaram. Quem você acha que quem faz a maioria desses abortos? Médicos!

    3-Segundo algumas pesquisas, são feitos mais de um milhão de abortos no Brasil por ano - Segundo outras pesquisas, em países em que o aborto foi permitido, o número de ocorrências NÃO aumentou. Deve ser meio traumático passar por um aborto. Ninguém quer isso, é sempre a última opção. A mulher não faz aborto como toma sorvete por aí.

    4-Bêbes deficientes abortados - aqui você tem um ponto interessante. Se eu aceitá-lo, ficamos como: aborto em crianças saudáveis são permitidos, mas em deficientes não. Estranho, não? Ademais, na maioria dos casos, só é possível detectar a doença quando o aborto já não é mais seguro para a mulher, e quando o feto já é, de fato, um bebê, algo que acontece pra lá dos três meses de gravidez.

    Viu, não dá para defender o aborto sem recorrer à bíblia. A menos, claro, que você vá para uma tréplica.

    ResponderExcluir
  3. que lixo de texto, cara!

    ResponderExcluir
  4. Meus Deus!

    Nunca vi tanta abobrinha junta num mesmo texto. Estou passada com tanto machismo, falta de informação, de senso, de sensibilidade. Quantas comparações idiotas, quantas asneiras!
    Meu caro, vc achar que a mulherada sairá por aí fazendo abortos como quem tira uma pinta da cara, é muita ingenuidade ou machismo mesmo por supor que nós mulheres não temos capacidade suficiente de refletir e separar as coisas, saber qdo de fato um aborto se faz necessário. Além do que, a descriminalização do aborto não obriga ninguém a abortar e não seria um oba-oba. Não pense vc que as mulheres chegariam no hospital, pegariam uma fila estando grávidas e saíriam de lá em condição oposta.
    Em países onde o aborto é permitido, existe uma organização, documentos, não se aborta quantas vezes quiser e o tempo todo, há um controle intenso sobre os procedimentos.
    E sim, meu filho, somos donas dos nossos corpos sim. Muito fácil vir com este discursinho qdo se é homem e nunca em hipotese alguma poderá passar por um dilema como esse.

    Textinho bastante equivocado o seu, hein?!

    ResponderExcluir
  5. Nossa... dá a descarga depois desse texto vai... aff, que lixo!

    ResponderExcluir
  6. Desculpe meu comentario anterior, foi minha primeira reação, não devia ter feito. Acho que você não é um caso perdido, afinal de contas, esta tentando dialogar. Leia um pouco o que dizem as pessoas que são a favor do aborto, ouça o que elas têm a dizer, quem sabe vc não entenda um pouco mais sobre o assunto. Acho realmente que o que esta te faltando é informaçao.

    ResponderExcluir
  7. Com minha visão e dentro da medicina:

    1) Mulheres passando na frente de quem realmente precisa de médicos: há médicos especialistas para fazer o aborto. A mulher não vai passar na frente de quem tem, sei lá, câncer de prostata. Mas, olha, minha bronca nem é essa. Estamos falando de uma mulher que NÃO QUER ter um filho. Sei lá porquê. Não importa.
    O marido largou, o pai da criança fugiu, ela NÃO TEM VONTADE de ser mãe. Por que a vida dessa mulher - e o problema que esse filho vai trazer - é menos importante que um cara que está fisicamente doente?
    Resposta: Quem geralmente faz o aborto é o ginecologista,certo?e não existem outras cirurgias que o ginecologista faz?existem sim!muitas por sinal,e o aborto(legalizado) vai sim passar na frente,pois com a gravidez em avanço o aborto pode oferecer riscos a saude da pessoa que carrega o feto,não podendo ser chamada de mãe,porque uma mãe jamais cometeria tão crime.Depois,a tão mulher não quer o filho??e porque não pensou nisso antes de fazer?existem varios metodos contraceptivos,antes e depois do ato!

    2-E se nenhum médico quiser fazer a operação - Em primeiro lugar, não é uma operação. Estamos falando de aborto, não cesariana. Há milhares de médicos do Brasil. Acho meio inconsistente dizer que nenhum vai querer, certo?
    Resposta:Claro que muitos medicos vão fazer,mas acho que vc se esquece que existem cidades pequenas que se tiverem 2 médicos é muito.será que esses vão estar dispostos?e se não?a reprodutora terá que se deslocar pra outras cidades.

    3-Segundo algumas pesquisas, são feitos mais de um milhão de abortos no Brasil por ano - Segundo outras pesquisas, em países em que o aborto foi permitido, o número de ocorrências NÃO aumentou. Deve ser meio traumático passar por um aborto. Ninguém quer isso, é sempre a última opção. A mulher não faz aborto como toma sorvete por aí.

    Resposta:A legalização do aborto vai aumentar o numero de abortos sim,a pesquisa citada por vc,fala que aumenta pouco,mas aumenta.E tem mulheres que fazem o aborto e não estão nem ai,por isso eu digo,pra certas mulheres não é nem como tomar sorvete,mas como tomar água.

    4-Bêbes deficientes abortados - aqui você tem um ponto interessante. Se eu aceitá-lo, ficamos como: aborto em crianças saudáveis são permitidos, mas em deficientes não. Estranho, não? Ademais, na maioria dos casos, só é possível detectar a doença quando o aborto já não é mais seguro para a mulher, e quando o feto já é, de fato, um bebê, algo que acontece pra lá dos três meses de gravidez.

    Resposta:a doença pode ser detectada apartir do primeiro mês de gestação através de exames simples,como exame de sangue e ultra-sonografia.http://boasaude.uol.com.br/lib/ShowDoc.cfm?LibDocID=3789&ReturnCatID=1798
    Depois,talvez os pais desejem um filho,esperem por uma gravidez,mas quando sabem que a criança pode vir com esse problema desistem e optam pelo aborto?isso é certo?tudo bem na hora do desespero se pensa em muitas coisas,mas pra isso existe o TEMPO para se pensar melhor nas escolhas,e com o aborto legalizado a pessoa não vai querer o tempo.

    E por ultimo meu caro,se no tempo que sua mãe estivesse gravida de você e o aborto fosse legalizado e ela por não querer ser mãe optasse por ele,você não estaria aqui.
    vc por acaso sabe como é doloroso um aborto pra o feto??existem varios videos na internet que mostra o feto tentando esquivar-se dos aparelhos de aborto.é cruel,é crime,é desumano.
    eu estou terminando meu curso de medicina,e sinceramente se o aborto for legalizado eu não farei,desisto do meu diploma,pois quero salvar vidas e não tira-las.

    ResponderExcluir
  8. "As mulheres que defendem o aborto falam que a mulher deve ter direito de escolha. Mas é claro que elas tem escolha. Elas podem escolher usarem métodos anticoncepcionais."

    Imagino, por esse argumento, que o senhor tb seja contra a distribuição gratuita dos remédios da AIDS... afinal, as pessoas podem muito bem usar camisinha, pegam AIDS pq querem, não é?

    Ops, esqueci. Ao contrario da gravidez, AIDS é um problema dos homens também, por isso é uma situação totalmente diferente. Falha minha.

    ResponderExcluir
  9. respeito sua postura, porem escrevestas muitas abobrinhas...to cansado de tanto trololó...seu txt é quase uma cartilha eclesiástica praticando futurismo apocalíptico, um pouco naïf e sofista. V c pode ter a fé que lhe der na veneta ( deus de abraão, coelinhos místicos, chaleira espacial techinicolor, duendes ou jack sparrow) porém não me venha corroborar com essa teologização do Estado. De resto...seu discurso em muito se assemelhou ao de kardecistas, que forçando a barra para a cientificidade de sua fé se expõe ao ridículo da razão.... atribuindo probatiriedade pela fisica quantica (LoL) e a autoria de obras a gente morta...bjo na bunda e até segunda

    ResponderExcluir
  10. Velho, tem mulheres que abortam "como quem toma água". Aí eu concordo.

    Mas e as muitas que tomam essa decisão sofrendo muito? Quantas mulheres miseráveis vemos por aí? Nos Estados Unidos, o sistama de adoções funciona. Eu conheço o sitema aqui no brasil! As crianças MORREM na fila, cagadas e famintas!

    Outra: vc correria risco de vida, mudaria toda sua vida, sofreria fisicamente, ficaria feio (considerando que a única coisa que as pessoas valorizam em vc é a beleza)... por mim? Por mim, mesmo. Você me conhece? Eu sei que o certo é q vc se sacrificasse assim por mim, e eu por vc. Mas eu não sei se faria isso por você!

    Outra ainda: sou pai e nossa gravidez foi muito tumultuada, difícil. Minha mulher me disse: quis ter e lutar por nosso filho desde o começo, mas só passou a amar ele de verdade a partir do ponto que as coisas se acalmaram e a gente parou de pirar e ficar correndo em círculos.
    Eu fico pensando que muitas mulheres só pensam em abortar porque estão confusas. Como você sabe, é quando estamos tranquilos, não amedrontados, que aprendemos a amar - seja lá quem for. Acredito que é o medo que impede que a "ficha" de muitas mulheres "caia" a respeito da maravilha que carregam consigo.


    Digo isso tudo pra vc tentar ver as coisas pelo lado delas. Não pra que vc mude sua opinião sobre aborto.
    tente entender o lado do outro. Mesmo que seja para continuar condenando sua atitude. Faça um esforço, se ponha no lugar delas: isso se chama compaixão.

    Cristo teve compaixão de seus próprios assassinos. Você não teria dos meus?

    Um abraço e fique com Deus!

    Vinícius

    ResponderExcluir
  11. Prezado Fabiano e demais comentaristas,

    Fico feliz em viver em um país em que a democracia, ainda que a passos lentos, está pouco a pouco enraizando-se e há muitas pessoas que tem opinião sobre os temas que afetam nossa sociedade no momento atual. Prova disso é que estamos todos aqui expressando a diversidade de visões de mundo e argumentando, democratica e republicanamente - quero crer - em favor de determinadas posições. Não concordo com o ponto de vista apresentado no texto do Fabiano, pq apesar de ser católica praticante não compartilho do entendimento de que a minha fé, moral e visão de mundo devem ser "impostas" a outros que pensam diferente. Eu acho que todos concordaremos que abortar não é como sair para fazer um pic-nic no parque. É uma violência física e psicológica que, quem já passou por isso, tem dificuldades em assimilar tamanho o trauma. Nao defendo o aborto como alternativa de contracepção e tampouco acredito que alguem o utilize com isso em mente quando a pílula, o DIU, etc sao muito menos traumáticos. Acho que a maternidade é uma coisa muito séria de grande responsabilidade que deve ser plenamente vivida quando há as condições para isso. Confesso-me surpresa com o argumento de muitos que o aborto fere o "direito sagrado à vida" que todos nós sabemos é violado em cada sinal das grandes cidades brasileiras onde encontramos menores subnutridos, cheirando cola, mendigando ou ameaçando os passantes. Onde estão os que defendem o "sagrado direito à vida"?? Acreditem, legalizado ou não, o aborto é uma realidade. Sua criminalização só cria, mais uma vez, um estigma nas mulheres pobres que o praticam em condições precárias e arriscando a própria vida. Pois todos sabemos que no nosso país quem pode pagar não segue as leis.
    Boa discussão a todos!
    Ana

    ResponderExcluir
  12. PANDORA, olha a besteira que vc ta falando!
    AIDS é uma doença, a criança não, nao tem absolutamente nada a ver.
    e se a mae/mulher nao está preparada, tivesse se prevenido, vocês conhecem alguns metodos anti concepcionais?
    olha existem vários:

    CAMISINHA
    PILULA
    INJEÇAO
    ABSTINENCIA
    Até a PILULA DO DIA SEGUINTE, se vc 'esqueceu' de se prevenir.

    Aborto é pra pessoas sem vergonhas, que nao arcam com suas responsabilidades.

    ResponderExcluir
  13. meu DEUS nao precisam ofender o cara ele so esta dando a opiniao dele como todos nos .e agora é a minha: tudu na vida sao escolhas e matar uma criança ao meu ver nao parece soluçao pra vida de ninguem ,nao se sabe o dia de amanha uma criança que hoje no ventre pode parecer o seu inferno amanha pode ser tudu na sua vida.nao axu que o fato de q em paises que é legal essa pratica nao terem aumentado os indices a questao fique menos preocupante sao mais de um MILHAO um numero assustador.se ao inves de tentar ser conivente com a morte ouvessem mais politicas como controle de natalidade educaçao pois legalizando ou nao continuara a ser feito. Que seja com o apoio da legislaçao coisas que irao acrescentar a qualidade de vida da populaçao,nao apoiar esses homens e mulheres irresponsáveis que so tem compromisso com o prazer pois uma criança se poder descartar porem nessa mesma transa ao inves de um filho poderia ser uma Aids da vida.

    ResponderExcluir
  14. Fabiano, seu texto é simplesmente maravilhoso.Muitas mulheres sonham em engravidar e passam anos e anos tentando sem conseguir, sendo que outras, 'sem querer' engravidam e em dois segundos resolvem que não vão ter e assassinam seus próprios filhos. Muito triste isso.
    Eu tentei engravidar durante 8 anos, somente esse ano minha bênção chegou. Estou super feliz, não me contenho de tanta alegria e tanto tenho louvado ao Senhor Deus por essa dádiva.
    Que as mulheres que optam pelo aborto tenham tempo para se arrepender, pois o destino dos assassinos é o inferno. Deus tende piedade dessas pobres almas.

    ResponderExcluir
  15. Não quero ser chata, até porque você me inspirou simpatia, mas queria apresentar minha discordância:

    A história do "ela podia ter evitado" é, na maioria das vezes, uma falácia. Não necessariamente o fato que levou a mulher a querer abortar se deu antes da concepção (ex.: mulher que queria ter um filho com seu marido, com quem tinha uma vida estável, fica viúva).
    Também, como você sabe e sua argumentação por vezes prova, vivemos em um país machista, onde homens pensam que a obrigação de evitar um filho é só da mulher. Conhece a história clássica do cara que não aceita transar sem camisinha?

    Quanto à história do estupro, é óbvio que você não conhece seu país, né? Vítimas de estupro, nos tribunais brasileiros, muitas vezes são tratadas como se fossem rés. Mesmo quando é óbvio que não consentiram, isso não garante nada. Você vive em um país em que um cara que estuprou a própria filha foi absolvido porque o juiz achou que perder a virgindade com o pai é melhor que perder com qualquer um na rua. Um juiz do STF, ao julgar um caso de estupro de uma menina de 12 anos pelo padrasto, disse que a vítima não era a criança, mas o embrião, e que por isso não se poderia prender o homem, pois privaria o bebê que nem nasceu e que nem o conhecia, de seu pai biológico.

    Sobre a história de incentivar sexo seguro: você sabe que essas campanhas já são feitas. Camisinhas são distribuídas DE GRAÇA na rede pública. Mesmo assim, continuam a fazer sexo inseguro. É um problema cultural, com forte raiz no machismo do nosso país (vide tudo que eu disse antes). Vai levar anos, talvez décadas, até mudar a cabeça dessa gente. E até lá, a gente deixa as mulheres que fazem aborto (20% de todas as mulheres do país) entregues à própria sorte, em clínicas clandestinas ou até sozinhas?

    Se a idéia é diminuir a quantidade de gente no mundo, deixar essas mulheres morrerem (e evitar assim todos os outros filhos que elas poderiam ter na vida, se é só isso que importa) ou fazer essa campanha utópica de sexo seguro que você imaginou seriam métodos tão efetivos quanto legalizar o aborto.

    Sobre mulheres que querem o aborto passarem na frente de outras pessoas porque tem que fazer rápido, não acha que isso só vai acontecer com aquilo que não tiver que ser feito ainda mais rápido?
    E não me venha com essa de "está em perfeita condições de levar a gravidez adiante". Se o problema não é físico, pode ser emocional, social, psicológico, econômico, etc. Tem mais em jogo que a capacidade do corpo da mulher e do feto de levar a gravidez adiante. (Inclusive, sei que é pra discussão ser laica, mas reduzir uma pessoa a seu corpo não me parece algo muito cristão. Mas admito que posso estar errada.)

    Se nenhum médico quiser fazer a operação, então voltamos pra situação inicial, só isso. Melhor ter 50% de chance que 0%.
    E não creio que os abortos vão aumentar. No máximo, pode ser que aumentem os números, porque vai ser mais fácil saber quantas mulheres fizeram abortos.

    Agora, a história dos bebês deficientes foi seu melhor argumento. Mas tenho a impressão de que, se for legalizado, provavelmente vai haver algum tipo de processo formal e altamente burocrático para conseguir um aborto. Aí "Ele tem síndrome de Down." provavelmente não vai ser um motivo bem visto pelo juiz que for decidir o caso. (Aliás, isso vale também pra "mulher que pensa que aborto é água".) Mas enfim, eu não conheço o sistema adotado em países onde aborto é legalizado, então é só chute.

    Posso estar errada também, mas não entendo essa história de "decidir sobre o próprio corpo" do jeito que você entende. Pra mim, o caso da mulher que fica grávida contra a vontade é mais parecido com o caso da mulher que é estuprada do que com o da mulher que não quer ter um braço. Tanto no caso da gravidez quanto do estupro, tem OUTRA pessoa USANDO o corpo dela, contra sua vontade. O braço, até onde sei, é dela, tem o DNA dela, e não vai crescer e virar alguém diferente.

    ResponderExcluir
  16. Mais duas coisas que vi nos comentários:

    "E por ultimo meu caro,se no tempo que sua mãe estivesse gravida de você e o aborto fosse legalizado e ela por não querer ser mãe optasse por ele,você não estaria aqui."
    E daí? Se minha mãe tivesse abortado, eu teria morrido (de uma forma tão dolorosa quanto, provavelmente, será de fato a minha morte e diversos outros acontecimentos da minha vida) e não teria eu aqui, do mesmo jeito que não tem o filho que ela teria se tivesse escolhido outra pessoa que não meu pai. As únicas pessoas que sofreriam com o fato de que eu não estaria aqui seriam o meu pai e, pasme!, a minha mãe.

    "Aborto é pra pessoas sem vergonhas, que nao arcam com suas responsabilidades."
    Isso me uma coisa que vi num blog feminista outro dia. Que quem ataca o aborto sempre o faz com uma conotação de punição. ("Agora que fez, agüenta as conseqüências!") Até então eu lia essas coisas e ficava sentindo um mal estar, mas não entendia porquê. Aí entendi. Pra essas pessoas, a gravidez indesejada e a criança que nasce dela não são o "milagre da vida" nem nada do tipo. São, isso sim, a punição da mulher "desonesta" que ousou querer sexo por algo diferente da procriação.

    ResponderExcluir
  17. cara te amo de mais,o seu texto me ajudou a fazer umas anotações para o debate que vai ter la na minha sala,e realmente sou contra o aborto.
    beijos ^.*

    ResponderExcluir
  18. "Você não estaria aqui" - esse sim, é o melhor argumento.
    Você precisa assistir Monty Phyton! (ok, é muito herege, talvez seja forte demais para o seu coraçãozinho cristão)

    Eu nem ia, mas vou dar uma palhinha (em português): "Todo esperma é sagrado e não deve ser desperdiçado..." - espero que você reze todos os dias pelas crianças que você assassina com a sua polução noturna!

    ResponderExcluir
  19. A verdade e a vida28 de maio de 2011 23:49

    Pérolas aos porcos. Os assassinos se recusam a ver que matar outro ser humano, indefeso e inocente (não fez nada, logo não é legítima defesa) é simplesmente inaceitável, moralmente. Não há nada a ver com religião, com ideologia, e menos ainda com o direito da mulher. É do direito à vida (do indivíduo em estado fetal) que se trata. Aborto não passa de assassinato, sem atenuantes. E quem defende o direito ao assassinato não vai se demover com apelos à razão, certo? É o egoísmo em estado extremo, o único valor que defendem.

    ResponderExcluir
  20. A opinião daqueles que criticam quem é contra o aborto é de uma siploridade que beira o ridículo. No final, são todos individualistas que só pensam no próprio umbigo. Mas não se lembram que para terem um umbigo tiveram antes que nascer. Lastimável!

    ResponderExcluir
  21. A questão penso eu que transcende um pouco essas questões, não podemos esquecer que estamos falando de uma vida e de vida humana. quantas pessoas morrem em assassinatos diariamente os dias de hoje, mas não só, também morrem no transito, nos hospitais esperando por um atendimento digno e não recebem. Entõ nos indignamos dizemos que isso tem que mudar, deve ser feito justiça pela morte do ente querido. Aborta seria a mesma coisa e poir a criança ou feto não tem nem possibilidade de se defender. Que crueldade! Matar alguem ja nascido é crime agora quando falamos em VIDA HUMANA AINDA NO VENTRE aí a conversa muda, É A MESMA COISA AS DUAS TEM VIDA E POR TEREM VIDA DEVEM SER RESPEITADAS EM TODA SUA DIGNIDADE DE SER HUMANO!! A vida não é um brinquedo de criança na qual se pode jogar fora depois que não se quer mais ou porque veio estragado!! Sem falar no sofrimento não só psicologico que o aborto causa nas mulheres!!

    ResponderExcluir
  22. Gostei do seu texto me ajudo com o trabalho da escola.
    Concerteza eu te apoio, sou totalmente contra o aborto!

    ResponderExcluir

Obrigado pela participação no Blog. Jesus te abençoe.
Você pode comentar usando o Facebook no campo acima, ou comentar usando uma conta do Google aqui :

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...